Tratamento de canal: saiba o que é e quando é indicado fazê-lo

17 de março de 2019

Odonto

Não é somente o esmalte dentário que pode ser lesionado por bactérias ou manifestar doenças. Esses problemas também afetam as estruturas internas dele e, quando isso acontece, é preciso recorrer a um tratamento de canal.

Ainda cercado por muitos mitos, esse procedimento evoluiu bastante nos últimos anos tornando-se muito mais seguro, confortável e eficaz. Então, com o intuito de apresentá-lo e também às suas indicações preparamos este artigo trazendo informações importantes sobre esse tratamento que pode ajudar a salvar o seu dente. Continue lendo para saber mais!

O que é o tratamento de canal?

Existem diversos procedimentos oferecidos pela Odontologia, no entanto, o tratamento de canal está entre aqueles mais impopulares, se não for o qual os pacientes mais temem. Isso acontece por causa das experiências negativas de outras pessoas que se submeteram a técnicas antigas.

Hoje o tratamento de canal evoluiu muito e conta com recursos tecnológicos que facilitam cuidar do dente doente e promover a reabilitação oral. Na verdade, esse procedimento ajuda a salvar um dente mesmo que ele tenha sido gravemente atingido por uma cárie, por exemplo.

Afinal, essa técnica, também chamada de terapia endodôntica, consiste na retirada da polpa e nervo inflamados ou infeccionados. Assim é possível evitar a perda total de um dente ou que o problema se estenda para outros e até mesmo partes do corpo.

Como esse procedimento é realizado?

Para realizar um tratamento de canal, a primeira etapa consiste na realização de exames para observar se de fato existe necessidade do procedimento ou se outra técnica seria mais indicada. Também é por meio deles que o dentista analisará a saúde do dente, observando suas partes afetadas.

No dia da consulta o paciente será submetido à anestesia local para evitar dores e desconfortos. Em seguida, o dentista faz uma abertura no dente lesionado para conseguir acessar a sua polpa e nervos, então, é feita a retirada desse material inflamado ou infeccionado (pulpectomia).

A cavidade é devidamente limpa e desinfectada com produto específico para eliminar todos os microrganismos. Depois, é aplicado um cimento odontológico para preencher a cavidade dentária e o dente é selado e restaurado para recompor sua estrutura e evitar infiltrações.

Há casos em que não é possível realizar todo o procedimento em uma só consulta, sendo que o dentista poderá solicitar um novo exame a fim de observar se todas as partes danificadas, de fato, foram retiradas.

Quando isso acontece, o dente recebe uma espécie de curativo (restauração temporária). Ele evita que nesse período entre as consultas aconteça alguma infiltração ou resíduos de alimentos se depositem na cavidade aberta.

Em quais situações o tratamento de canal é indicado?

Não é toda dor de dente que indica a necessidade de tratamento de canal. Na verdade, esse procedimento apenas é realizado quando existe um comprometimento da polpa do dente, seja pelo fato de estar infeccionada ou morta.

Quando isso acontece, é muito importante fazer a retirada do material porque a dor apenas tende a aumentar, e ainda existe a possibilidade de a infecção penetrar na corrente sanguínea. Ela pode se estender para outros tecidos bucais e até mesmo afetar o organismo de um modo geral.

Alguns problemas que podem comprometer a polpa dentária e exigir um tratamento de canal são:

  • cáries profundas;
  • trauma dental;
  • fraturas;
  • degeneração da polpa.

O tratamento de canal é simples e muito eficaz, mas é importante realizá-lo com um bom dentista para que o dente seja bem tratado e não haja o risco de novas infecções. Assim, além de eliminar as dores o dente será preservado, evitando a necessidade de extrai-lo.

Esse é um dos vários procedimentos para manter a saúde bucal e os dentes bonitos. Entre em contato conosco para conhecer mais opções e garantir um belo sorriso sempre!


  • Compartilhar: